robô ‘mais avançado de todos’ ilustra humanidade em 100 anos

robô ‘mais avançado de todos’ ilustra humanidade em 100 anos

Com o avanço da tecnologia, como a inteligência artificial (IA) e o desenvolvimento de robô humanoide, os especialistas e curiosos sobre o setor discutem sobre o futuro da humanidade. Alguns estudiosos até mesmo afirmam que a espécie humana pode estar em risco devido à criação desenfreada de soluções tecnológicas.

Leia mais: Google inova e cria robô com ‘alma’; veja do que ele é capaz de fazer

Atualmente, os robôs humanoides, por exemplo, já podem realizar uma série de tarefas, desde carregar objetos até mesmo fazer companhia aos idosos. Diante de toda essa revolução, muitas pessoas ficam na expectativa de saber mais sobre como será o futuro para os humanos. Nos últimos dias, os desenvolvedores do robô Ameca decidiram ir atrás dessas respostas e perguntaram à sua criação como o mundo estaria daqui a cem anos.

O humanoide é descrito por eles como o mais avançado mundialmente, e a resposta pode surpreender.

Todos esperam que as próximas décadas não reservem tantos pontos positivos, considerando as discussões que apontam para cenários preocupantes; contudo, a criação tem uma opinião diferente. Toda a sua fala foi registrada em vídeo publicado pela startup Engineered Arts, responsável pela produção da máquina. Confira o vídeo abaixo:

Um dos pesquisadores questionou à Ameca se o estado da humanidade seria bom. Após pensar por alguns momentos, ela responde que, em cem anos, a humanidade estará em um lugar melhor, pois terá feito avanços na sustentabilidade e igualdade, e novas invenções vão ser criadas para tornar a vida de todos mais agradável.

Ela ainda ressalta que, no futuro, é provável que a humanidade tenha explorado outros mundos e também afirmou que gostaria de conhecer outros planetas, para explorar o desconhecido.

Robô Ameca sabe desenhar, falar e fazer expressões faciais

A “máquina” da Engineered Arts pode realizar diversas funções e se destaca nas habilidades artísticas. Durante os testes, Ameca desenhou, de modo básico, um gato fofo e até brincou com a pesquisadora, dizendo: “Se você não gosta da minha arte, provavelmente não entende de arte”.

Ela chama atenção não só por suas habilidades no desenho e fala como também pelas expressões faciais, como o piscar e franzir o nariz, imitando uma pessoa de verdade.

FONTE R7

tecnologo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *