Não é mágica! Samsung amplia autorreparo de produtos Galaxy, exceto no Brasil

Não é mágica! Samsung amplia autorreparo de produtos Galaxy, exceto no Brasil

A Samsung pretende expandir o seu serviço recém-lançado de “Auto reparo” para a Europa, após o sucesso de estreia na Coreia do Sul e nos EUA, e agora os consumidores poderão adquirir peças oficiais e assim reparar seus smartphones e notebooks Galaxy sem precisar sair do conforto do lar.

No entanto, Brasil e demais países da América Latina continuam sem expectativas de lançamento da iniciativa por aqui. Por ora, são os europeus que desfrutam da novidade, e países como Bélgica, Alemanha, França, Espanha, Holanda, Reino Unido, Suécia e Polônia estão entre os contemplados.

Como funciona realmente o serviço?

Essa é uma excelente pergunta, e, para respondê-la, peguemos como exemplo os lugares citados acima, no continente europeu. Por aquelas bandas, os consumidores que possuam algum modelo de aparelho Galaxy S20, S21 ou S22 vão poder acessar o site oficial da marca e comprar seus kits de reparo por lá.

Será possível conseguir telas com bateria, painéis traseiros de vidro e os famosos conectores USB-C para carregar o de dispositivos. Já quanto aos preços, eles serão variáveis de acordo com a região e não haverá uma tabela fixa nesse quesito.

Da mesma forma, a empresa permitirá que seus clientes adquiram itens do Galáxia Notebook Pro e Pro 360, porém somente os modelos lançados no ano de 2021, e entre as peças disponíveis estão baterias, telas LCD, módulos biométricos, teclados, entre outras.

Mas, infelizmente, por enquanto somente pessoas que residem na Alemanha, Reino Unido, Itália, Suécia e Reino Unido poderão ter acesso a esses componentes para os referidos computadores portáteis.

Lembrando que a parceria firmada entre a Samsung e a iFixit para realizar o envio de ferramentas que auxiliam nos reparos continua exclusiva dos EUA, no entanto, a companhia disponibiliza seus próprios kits de apetrechos, que devem ser comprados separadamente pelos consumidores.

Logo, só resta ao Brasil e aos demais países latino-americanos aguardarem para saber se um dia esse serviço será disponibilizado desse lado do mundo, já que até agora a marca não se pronunciou sobre essa questão, não havendo, portanto, nem mesmo uma previsão se a praticidade será uma realidade por aqui.

FONTE R7

tecnologo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *